segunda-feira, 13 de novembro de 2017

O prazer da descoberta

Esta semana estivemos a pintar em papel bolha que eu tinha em grande quantidade cá por casa e depois decidimos estampar essas pinturas em folhas brancas. Que divertido foi sentir a textura, misturar as cores, ver o trabalho final em dois suportes... acima de tudo, que divertido foi criar!!!

sábado, 11 de novembro de 2017

Leitura de Imagens

As paredes da nossa sala são cheias de imagens que promovem o diálogo. Imagens de animais, imagens do quotidiano das crianças e das famílias, réplicas de quadros de Arte, ilustrações que cativam e fotografias da famílias. As imagens são excelentes pontos de partida para uma conversa entre o adulto e a criança e entre crianças. Muitas vezes é aqui que surgem as primeiras palavras e é também aqui que criamos oportunidade para desenvolver vocabulário assim com os primeiros diálogos. 


Para além das imagens que temos nas paredes da sala, de vez em quando escolhemos imagens em revistas para fazermos leitura/interpretação de imagens. A partir destes recortes de revista fomentamos o diálogo. "O que estás aqui a ver?" perguntamos às crianças. As respostas podem vir por palavras mas também  através de gestos.


Depois, à frente deles (porque é fundamental que as crianças nos vejam escrever, seja em que idade for) registamos as suas descrições. Primeiro individualmente ou a pares e depois em pequenos grupos para desta forma potenciarmos o aumento de vocabulário de cada um.

terça-feira, 7 de novembro de 2017

A família na nossa sala

Como já tive oportunidade de dizer noutros posts, na nossa escola valorizamos muito a presença da família na escola. E quando falamos da presença da família, não falamos de uma presença física constante. Falamos de uma presença que acontece numa partilha de uma notícia, numa troca de palavras antes de entrarmos para a sala, numa oferta de uns avós que estão mais longe, num objeto que se traz de uma viagem. A família está presente em cada momento que vivemos dentro da sala, porque nos sentimos um neste processo educativo. 

Na minha sala tenho a sorte de ter famílias muito participativas e cheias de ideias que nos enriquecem diariamente. Nestes últimos tempo têm sido muitas e diferentes as partilhas que nos têm chegado:


A família da Maria mandou um cestinho de panquecas para o nosso lanche!


O Santiago, depois de um fim-de-semana na quinta dos avós, trouxe medronhos para partilhar com os amigos. Pudemos ver as fotos deste fruto na árvores e pudemos ainda sentir o cheiro e sabor dos medronhos.


A mãe do Pedro foi até S. Tomé em trabalho e quando chegou trazia nos pedras especiais daquela terra. Lembramo-nos da caixinha de tesouros de Moçambique que já tinha sido partilhada pela família da Francisca e num momento delicioso fomos à descoberta de África. 


O Xavier foi apanhar marmelos com os avós, trouxe-nos a notícia com as fotos do que andou  fazer e trouxe ainda marmelos e marmelada que adorámos comer no pão ao lanche. 

As partilhas são uma constante e não passam só pelo que atrás descrevi, temos notícias de idas a museus, de passeios em família, de livros que nos fazem estender a hora do conto por muito mais tempo, de instrumentos musicais, cd's e até jogos. Com estas partilhas tornamo-nos comuns... conhecemo-nos melhor... e isso é tão bom!

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Piu - O Teatro do Biombo veio à escola.

Um dos objetivos primordiais da escola é oferecer às criançaas experiências culturalmente ricas e variadas. A riqueza das experiências culturais que vivemos na infância, influenciam o interesse de cada um de forma avassaladora. O acesso à cultura é uma das nossas missões. Sem a cultura a escola não passa de um lugar vazio, sem sentido. É por este motivo que tentamos promover na creche, pelo menos uma vez por mês uma atividade/experiência cultural significativa. Na sexta-feira passada tivemos na escola o Teatro do Biombo. O Teatro do Biombo é uma associação cultural sem fins lucrativos, criada em 2010 por Joana Capucho (teatro) e Miguel Mata Pereira (psicólogo educacional) dedicada maioritariamente à primeira infância. O Teatro do Biombo é nosso parceiro já há muito tempo, não só pela sua diversidade como pela sua qualidade. Desta vez a peça que escolhemos foi o Piu. O Piu é um espectáculo baseado no livro infantil: Artur, de Oli. Para saberem mais sobre o livro é clicarem aqui e visitarem o meu blogue de livros infantis.

Sobre esta manhã maravilhosa só temos a acrescentar que foi um deleite ver esta peça, a expressão da atriz, a interação com os bebés e poder apreciar cada momento único. As fotos falam por si:


Até breve Teatro do Biombo. 

sábado, 28 de outubro de 2017

Porquinho-da-índia ou Coelho?

Há umas semanas a Susana trouxe à nossa sala os seus dois porquinos-da-índia para podermos observar e fazer festinhas. Todos adoraram... mas ficaram confusos. Afinal que animal era aquele? Era um porquinho mas não faz "ronc-ronc" e mais parece um coelho. 


Os porquinhos-da-índia da Susana ficaram na nossa escola por um tempo e cada vez que passávamos por eles surgia a confusão: "Olha os coelhos!" "Não são coelhos", "São porcos?". 

Decidimos então ir pesquisar. Para a sala levei livros e imagens para vermos as características dos dois animais. Fizemos as primeiras comparações e as primeiras descobertas. 


O coelho é maior e tem orelhas compridas. O porquinho-da-índia é menor e tem orelhas pequenas. O coelho é mais comprido e gosta de saltar e o porquinho-da-índia não salta, mas consegue enfiar-se em sítios muito estreitos. O coelho guincha quando está assustado e porquinho-da-índia guincha quando está feliz ou quando tem fome. O porquinho-da-índia é roedor e o coelho não. O coelho tem patas compridas e uma cauda pequena e o porquinho-da-índia tem patas curtas e não tem cauda. 

Foram tantas as descobertas mas ainda havia confusão. Decidimos então colar as várias imagens que tínhamos dos dois animais em diferentes partes de uma folha, para nelhor percebermos quem é coelho e quem é porquinho-da-índia. 


Depois de fazermos o nosso cartaz, eu e a Susana voltámos à sala com a porquinha-da-índia da Susana e o coelho Alberto da escola e pudemos observar os dois animais para percebermos melhor as suas diferenças. 


O cartaz está exposto na nossa escola para todos poderem ver o nosso trabalho!

domingo, 22 de outubro de 2017

Dia da Alimentação

Na segunda-feira foi dia mundial da alimentação. Logo de manhã recebemos na sala a mãe da Francisca. A Ana é nutricionista e partilhou comigo a vontade que tinha de vir à sala falar sobre alimentação saudável. Pensámos juntas o que poderíamos fazer. No dia combinado a Ana chegou à nossa sala com um saco cheio de peluches e surpresas. E ainda trazia duas caixas enormes com imensas frutas e legumes. 


Deitámos mãos às caixas e fomos descobrindo o que havia por ali. A Ana ensinava o nome de cada legume. Pudemos cheirar, tocar, desfazer, experimentar... Foram tantas experiências ao mesmo tempo! 


Depois a Ana mostrou-nos uns cartões com as imagens e os nomes dos legumes e frutas que tinha trazido. Foi então que pudemos fazer algumas associações. Umas foram mais fáceis que outras. 


De seguida, eu e a Ana começámos a abrir e/ou a descascar as várias frutas que vinham numa das caixas. Pusemos tudo em pratos. Alguns pratos eram bastante artísticos e cativantes (Levámos à letra a expressão "Os olhos também comem!") e outros eram mais simples. O cheiro delicioso a fruta já se sentia por toda a sala e a cor da mesa convidava todos a experimentar estes alimentos. 


Seguiu-se um verdadeiro manjar com muitas experiências alimentares, que resultaram numa maior abertura por parte das crianças a experimentar diferentes e novos sabores. 

Mesmo antes da Ana se ir embora ainda fizemos uma caça à fruta/legume muito divertida. A Ana escondeu por toda a sala as frutas e legumes de borracha que tinha trazido e deixou uma taça vazia no centro das mesas. Quando entrámos na sala, foi hora do jogo começar. 


A manhã foi em cheio e a Ana deixou nos materiais para explorarmos e partilharmos toda a semana na nossa e nas salas vizinhas. Um grande obrigada à Ana por este dia. 

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Expressão Motora - A conquista acontece passo a passo.

A expressão motora e a expressão musical têm, na nossa escola, professores especialistas que vêm uma vez por semana à sala. A Margarida - professora de expressão musical - é adorada por todos, mas o Beto teve de conquistar o grupo... e isso aconteceu passo a passo. 



Durante as primeiras semanas, a sua presença era suficiente para causar instabilidade no grupo. No primeiro dia o Beto só se sentou no chão da sala. Alguns aproximaram-se, outros nem quiseram olhar par ele. Nas aulas seguintes chegaram as bolas e depois outros materiais. O Beto passou a brinquedo preferido. 


Esta semana o Beto trouxe uns materiais enormes que resultaram em grandes explorações. E, como sempre, a conquista aconteceu, passo a passo. 

As fotografias dizem tudo: "Passo de um lado para o outro, mas dás-me as duas mãos!" ; "Consigo chegar ao outro lado, mas preciso da segurança da tua mão!" ; "Vou por aqui, mas não como tu queres, eu consigo rastejar!" "Olha para mim, estou sozinho e feliz aqui em cima!"